web analytics

Pesquisas revelam que a depressão é influenciada por uma série de processos no corpo, incluindo inflamação, stress oxidativo, entre outros. Por este motivo, certos suplementos têm sido usados para ajudar a tratar os sintomas da depressão ao longo de décadas, tomados com medicamentos antidepressivos ou sozinhos.

Infelizmente, hoje em dia, o mercado de suplementos está cheio de mensagens mistas e afirmações exageradas sobre quais os melhores suplementos para o tratamento da depressão e ansiedade, por isso pode ser difícil saber o que realmente funciona.

Vendo mais de perto o que a pesquisa diz e que suplementos específicos são recomendados pelos especialistas, pode determinar que suplementos podem ser adequados para si.

Quais os melhores suplementos para a depressão?

Inúmeros estudos têm avaliado o papel dos suplementos no tratamento da depressão. No entanto, nem todos os estudos são de igual qualidade e é importante considerar os achados de estudos rigorosos publicados em periódicos de alta qualidade. Uma análise afiliada de Harvard publicada no American Journal of Psychiatry concluiu uma avaliação abrangente dos estudos existentes (denominado meta-análise), oferecendo uma maneira condensada e fiável de rever o que funciona. Analisaram os resultados do estudo existente sobre 16 suplementos diferentes para determinar se tinham evidências suficientes para sugerir que ajudam a reduzir os sintomas de depressão quando tomados com medicamentos antidepressivos.

Aqui ficam os suplementos/vitaminas que ajudam no combate à depressão e ansiedade.

1. Óleo de peixe (elevada EPA)

O óleo de peixe é rico em ácidos gordos ómega 3, fundamentais para certas funções cerebrais, podem ajudar a reduzir a inflamação associada à depressão. Existem dois tipos de ómega 3 no óleo de peixe: EPA e DHA. Pesquisadores descobriram que o EPA é o que mais ajuda quando se trata de depressão.

2. Vitamina D

Os nossos corpos produzem vitamina D naturalmente com exposição adequada ao sol; no entanto, estudos descobriram que a maioria das pessoas realmente tem níveis insuficientes, especialmente as que vivem geograficamente a norte, com menor exposição à luz solar, e que pessoas com baixos níveis de vitamina D são propensas a taxas de depressão mais elevadas. Existem recetores de vitamina D nas partes do cérebro associados à depressão e podem estar envolvidos na criação de certos neurotransmissores

3. L-Metilfolato (um tipo específico de ácido fólico)

Certas pessoas possuem uma composição genética que realmente prejudica o uso de ácido fólico nos processos celulares, o que pode estar associado à depressão. O L-Metilfolato pode ajudar a preencher essa lacuna e manter os processos celulares em funcionamento. Na verdade, já existe uma forma aprovada pela FDA de L-Metilfolato que os médicos prescrevem para pacientes que não respondem inicialmente ao tratamento antidepressivo.

4. SAM-e (S-adenosilmetionina)

O SAM-e é um medicamento prescrito na Europa, mas está disponível ao balcão nos EUA. É uma substância natural presente em todas as células do corpo e do cérebro que desempenha um papel em numerosos processos celulares. Acredita-se que o SAM-e funcione, aumentando os níveis de serotonina no cérebro, criando um efeito semelhante a um medicamento antidepressivo.

Para pessoas que não tomam antidepressivos, um painel de Harvard identificou os suplementos acima, bem como o St. John’s Wort, como “terapias naturais seguras – e muitas vezes eficazes” – para a depressão. Também vale a pena notar que os suplementos de óleo de peixe e vitamina D tem benefícios mais amplos para a saúde além do tratamento da depressão, incluindo a manutenção de ossos saudáveis, células e função cardiovascular.

Conclusão

Pesquisas mostraram que os suplementos podem ser uma ferramenta natural e eficaz para a gestão dos sintomas de depressão.

Embora a pesquisa positiva em torno desses suplementos seja encorajadora, é importante ter em conta que estes resultados não são perfeitos nem definitivos. Os especialistas concluíram que parecem dizer-nos o suficiente sobre a potencial segurança e eficácia destes suplementos, mas que são necessários mais estudos para serem conclusivos. Devemos pensar na pesquisa conduzida até agora como um ponto de partida sólido. Também é importante notar que cada um dos suplementos foi estudado isoladamente e combiná-los poderia criar resultados diferentes.

Se considera tomar suplementos para o ajudar a combater a depressão, é importante falar com um médico sobre o que é adequado para si. Os suplementos nutricionais não são regulados pela FDA e os testes têm mostrado consistentemente qualidade variável e pureza entre os fabricantes. Se vai usar suplementos, certifique-se que compra de marca de qualidade. Por fim, lembre-se que os suplementos não são um substituto para uma dieta saudável, mas podem ser um impulso útil para os nossos corpos trabalharem contra os sintomas da depressão.

Categories: Vitaminas