web analytics

A vitamina D é conhecida por “vitamina do sol“, pois é produzida no corpo quando o sol incide na pele. No entanto, muitas pessoas recorrem a suplementos durante os meses mais frios do ano, quando os dias frios e escuros limitam o tempo gasto ao ar livre.  

Vitamina D tem múltiplas funções no corpo. Ajuda a:

  • Promover ossos e dentes saudáveis
  • Apoiar a saúde do sistema imunológico, cerebral e nervoso
  • Regular os níveis de insulina e apoia a gestão do diabetes
  • Suporta a função pulmonar e a saúde cardiovascular
  • Influencia a expressão dos genes envolvidos no desenvolvimento do cancro 

Tomar um suplemento de vitamina D corretamente é fácil. Apenas precisa da dose certa (geralmente na forma de uma cápsula de gel), colocá-la na boca e engoli-la com um pouco de água. É tudo.

Não há vantagem em tomar um suplemento de vitamina D várias vezes por dia comparativamente a tomar uma cápsula uma vez por dia. Mas qual a melhor frequência para si? Diária, Semanal, Mensal ou Trimestral?

Anual = Não é bom

Durante a última década, estudos descobriram que doses anuais de vitamina D não proporcionam grande benefício.

Há muito menos estudos que publicam resultados com doses anuais.

A maioria dos estudos publicados desde 2010 foram iniciados há muitos anos.

Não estamos cientes de quaisquer novos Ensaios Clínicos usando doses anuais

Por vezes, as doses anuais acabam por causar problemas, tais como mais quedas.

Imagine as consequências de tomar um ano de qualquer alimento, suplemento ou medicamento num único dia, tais como: sal, água, iodo, aspirina, açúcar, trigo, vitamina A, etc.

A vitamina D é talvez o único item para o qual tomar a quantidade anual num único dia não causará uma chamada para o 911 ou morte imediata.

Trimestral = OK para alguns

Doses trimestrais de vitamina D resultam numa variação significativa nos níveis sanguíneos de vitamina D – o que stressa o corpo.

Parece, no entanto, que os benefícios da vitamina D ultrapassam o stress da dosagem trimestral.

Mensal = OK para a maioria

O período de vida da vitamina D na maioria das pessoas é de cerca de 1 mês.

Assim, para a maioria, tomar vitamina D mensalmente resulta num nível sanguíneo de vitamina D que decai talvez 30% até o final do mês.

Esta variação resulta nalgum stress no corpo.

A evolução criou corpos que normalmente experimentam mudanças ainda maiores no verão-inverno no que toca aos níveis de vitamina D. 

Nota: há alguma consideração pelo facto  de que o corpo requer variação no nível de vitamina D – por isso não deve mantê-la num nível constante durante todo o ano.

Semanal = Ótimo para a maioria

Praticamente todos podem tomar vitamina D semanalmente, digamos no sábado, sem problemas.

Nota: Provavelmente deve tomar coadjuvantes de vitamina D com mais frequência.

O corpo regular-se uma semana inteira de cada vez e o corpo não armazena muito bem alguns dos coadjuvantes.

Diariamente: Pode ser com esta frequência, mas não é necessário

Visto a maioria das pessoas tomar os seus comprimidos diariamente (incluindo coadjuvantes) a vitamina D, o normal será tomá-la diariamente.

O que causa deficiência de vitamina D?

Pode tornar-se deficiente em vitamina D por diferentes razões:

  • Não tem vitamina D suficiente na sua dieta
  • Não ingere vitamina D suficiente a partir da comida (problema de má absorção)
  • Não tem exposição suficiente à luz solar.
  • O seu fígado ou rins não podem converter vitamina D à sua forma ativa no corpo.
  • Toma medicamentos que interferem com a capacidade do seu corpo de converter ou absorver vitamina D

Que problemas causam a deficiência de vitamina D?

A deficiência de vitamina D pode levar à perda da densidade óssea, o que pode contribuir para a osteoporose e fraturas (ossos quebrados).

A deficiência grave de vitamina D também pode conduzir a outras doenças. Em crianças, pode causar raquitismo. Raquitismo é uma doença rara que faz com que os ossos fiquem macios e se dobrem. Bebés e crianças afro-americanas correm risco mais elevado de padecer de raquitismo. Nos adultos, a deficiência severa de vitamina D leva à osteomalacia. A osteomalacia causa ossos fracos, dor óssea e fraqueza muscular.

Os investigadores que estudam a vitamina D e as suas possíveis ligações a várias condições médicas, incluindo diabetes, pressão alta, cancro e doenças autoimunes, tais como a esclerose múltipla. Necessitam de realizar mais pesquisas antes que possam entender os efeitos da vitamina D nestas condições.

Muita vitamina D pode ser prejudicial?

Ingerir muita vitamina D (conhecido por toxicidade da vitamina D) pode ser prejudicial. Os sinais de toxicidade incluem náusea, vómitos, falta de apetite, prisão de ventre, fraqueza e perda de peso. O excesso de vitamina D também pode danificar os rins. Demasiada vitamina D também aumenta o nível de cálcio no sangue. Elevados níveis de cálcio no sangue (hipercalcemia) podem causar confusão, desorientação e problemas com o ritmo cardíaco.

A maioria dos casos de toxicidade da vitamina D têm lugar quando alguém ingere demasiados suplementos de vitamina D. A exposição excessiva ao sol não causa intoxicação por vitamina D porque o corpo limita a quantidade produzida desta vitamina.

Categories: Vitaminas